Entenda o Plano de Remada do Turismo do RN e conheça as práticas de prevenção à Covid-19

Entenda o Plano de Remada do Turismo do RN e conheça as práticas de prevenção à Covid-19

Por: Cristiane Modesto do Blog @sempreem-movimento

 

A pandemia causada pela proliferação do covid-19 atingiu diversos setores da economia do Rio Grande do Norte. Pensando nisso e com o objetivo de diminuir o impacto econômico no setor do turismo, seis entidades potiguares elaboraram o Plano de Retomada do Turismo no Estado.

O protocolo é dividido em seis fases, que será implementado dentro de um período de 18 meses. Segundo o regimento "os consumidores/clientes se encontram receosos de deixarem suas casas e voltarem a frequentar estabelecimentos de uso coletivo.

Desta forma, este documento visa definir critérios para a retomada da atividade turística e para a reabertura dos segmentos não considerados essenciais, para que os consumidores voltem a frequentar os estabelecimentos com a devida segurança, sem riscos de contaminação." O plano, ainda disponibiliza capacitação gratuita, ofertada por uma das entidades ligadas a criação do documento, o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac RN). Os cursos ofertados são: Boas práticas de prevenção à Covid para meio de hospedagens,

Boas práticas de prevenção à Covid para Serviços receptivos e áreas de visitação, Boas práticas de prevenção à Covid para alimentos e bebidas. Os cursos são online e com vagas limitadas e os interessados na capacitação profissional terão do dia 8 até 12 de junho para realizar sua inscrição. De modo geral Plano Básico de Segurança Sanitária envolve a aplicação de protocolos de saúde na hospedagem, espaços de lazer, serviços turísticos e em áreas que atuam com alimentação e bebidas. Abaixo, detalhamos as regras para o fluxo turístico e para o setor da hotelaria potiguar. Hospedagem: "Os meios de hospedagem não são considerados mais suscetíveis ao contágio do que outros estabelecimentos públicos visitados". Conforme está descrito plano de retomada do Turismo no Rio Grande do Norte.

Entretanto, é um local que estreita a relação dos turistas com os funcionários e por isso e para que haja maior segurança não só para os viajantes, mas também para os prestadores de serviço, "deve-se treinar todas as empresas [...] sobre os protocolos contidos neste documento." O Plano de Remada do Turismo do RN, detalha as ações que devem ser tomadas em diferentes setores da hotelaria como Recepção e Concierge, Governança e Limpeza, Recepção e Concierge e sugere que haja um estudo para a aplicação de home office nas áreas administrativas. Faz alertas, ainda, aos procedimentos do fluxo de turistas com suspeita de Covid-19. No momento em que for efetuar o check in na hospedagem, o turista deverá preencher uma declaração de saúde. Caso haja a presença e até mesmo a ausência de sintomas da COVID-19, para que o setor hoteleiro possa iniciar com as medidas de prevenção ou de indicação de atendimento, no caso de suspeitos.

No registro de sintomas gripais, a hospedagem deve disponibilizar máscaras cirúrgicas para o turista sintomático e para os acompanhantes. Além de acomodar estes hóspedes em um setor com menor fluxo de pessoas. Deve-se ainda, orientar para consultas por meio de Teleatendimento do Instituto de Medicina Tropical (IMT). Se o turista ficar enquadrado como suspeito de Covid-19, poderá seguir estas orientações:

1. Retorno para a sua residência em carro particular, para ficar em quarentena.

2. Retorno para sua casa em transporte público, desde que use máscara durante todo o percurso e siga as demais medidas preventivas, bem com o uso de álcool em gel e higienização constante.

3. Ser encaminhado para local definido pelo setor de saúde do município. Se o sistema de saúde da região disponibiliza locais para o cumprimento da quarentena, para que haja os tratamentos médicos não invasivos.

4. Permanência na hospedagem: Caso não tenha opção, deve-se considerar o auto isolamento no quarto da hospedagem. O turista doente poderá receber a vistas do médico sempre que possível.

Lembrando ainda que não deve dividir toalhas, banheiros e roupas com seus cuidadores. Outro procedimento do meio de hospedagem é comunicar ao hóspede que sua saída do quarto não estará permitida dentro de um período de 14 dias, porém caso haja descumprimento, cabe a hospedagem informar imediatamente às autoridades sanitárias e policiais. Todas as refeições devem ocorrer dentro do quarto, e após a alimentação o viajante deverá deixar os utensílios na sua porta, para que posteriormente possa ser recolhido e lavado com água, detergente líquido e desinfetado com hipoclorito de sódio ou álcool em 70%.

Já na limpeza das roupas de cama e toalhas, continua-se com os procedimentos habituais, porém com cautela no momento do transporte, colocando-os em sacos plásticos com vedação.

Será importante uma comunicação efetiva e rápida entre a hospedagem o turista isolado, uma vez que em caso de dificuldade de respirar, deverá ser feita a remoção do turista para o serviço de saúde. Vale lembrar ainda que o plano de retomada de turismo é uma construção coletiva que engloba não só os setores do turismo, mas também a sociedade civil, estando com formulários abertos para sua contribuição. Para maiores informações, basta acessar o documento no portal da Secretaria do Estado do Rio Grande do Norte.